28 de jul de 2009

Pandora


Tenho muitas caixas. Sempre tive fascinação por elas. Podem ser de madeira, de papelão, vidro, porcelana, pequenas, grandes ou minúsculas, não importa. Nelas eu escondo partes de mim que ninguém, nem mesmo quem as abra, consegue enxergar. Caixas podem guardar meus sapatos, os apetrechos de meus gadgets, brincos e colares, outras caixas que um dia trouxeram presentes preciosos para mim, cartas de tempos onde envelopes e selos eram itens preciosos em meus dias, lembranças de viagens ou simplesmente meu estoque secreto de chocolates. Pode abri-las se quiser, os segredos não estão à vista, estão sim impregnados nos objetos ali guardados. Ao manuseá-los posso ver e sentir coisas que ninguém além de mim pode. É como o famoso guarda-roupas que leva a Nárnia, a porta para a terra encantada se abre para aquele que sabe o que procura, mesmo que este não esteja ciente disso. Os tempo difíceis vem e vão, mas tenho sempre minhas caixas, meu passaporte para este mundo mágico onde lembro porque minha vida vale a pena.
.

3 comentários:

Eu... disse...

Muito bom isso, não é mesmo Andréia. Nos encontrarmos em pequenas coisas. Seja no que temos em nossas casas, seja o que tomamos como nosso... uma estrela no céu, um aroma, um simples objeto. Quando estamos longe de casa, ou preocupados demais com o mundo que não para - nunca - nos deparamos com algo e nossas lembranças de bons tempos voltam, ou então expiramos por novos sonhos. Esse texto me fez lembrar de um filme que assisti ainda essa semana - O Fabuloso destino de Amélie Poulain.
Abraços

maria guimarães sampaio disse...

Caixas, caixinhas, caixotes. Adoro me surpreender ao abrir perdidas caixas.

Celso Ramos disse...

É....esse seu texto me remete a Heidegger..aliás..a Heráclito que em um dos seus fragmentos diz que "a verdadeira natureza ama ocultar-se". Entenda-se natureza como "Phisys". Aquilo de que você fala só acontece no fazer, ou seja, quando você manipula...a vida é assim, olhamos para algo e o que vemos é o que está dentro de nós e não o que está fora, ou o que o acontecer permite que vejamos!!!