9 de jul de 2009

Fenômeno

Parece mais um balé. Os pés voam sabendo exatamente onde devem pisar e quanta força usar. Com uma fluidez impossível de se prever gira e toca, toca e segue como se não houvessem obstáculos. Em câmera lenta é como ver o mistério revelado, mas sem nunca entendê-lo. O grito preso na garganta é liberado não uma, mas varias vezes e o sorriso no rosto tão conhecido aquece o coração. É mais que o renascer da Fênix, é o amor pelo jogo posto em ação, é a chance plenamente aproveitada, é o cala a boca para quem disse “ele morreu”. Dá prazer de ver. O puxão de orelha dado com um sorriso no rosto, o incentivo gritado com paixão, a lição dada e aprendida, o comemorar em grupo, os braços abertos para a torcida em rendição total. É a entrega. É o retorno. É a alegria. É Ronaldo.

Um comentário:

Eu... disse...

Olá Andréa.
Acredito que acompanho seus contos há quase 4 anos.
Umas das poucas coisas que tenho mantido por tanto tempo e tem trazido sempre muita alegria.
Espero continuar por muito mais tempo.