10 de mar de 2008

Tidbits

Drenagem linfática, aplicação de enzimas, dieta de folhas e água, cremes de 150 reais, etc, etc... Vejo as mulheres mais tempo tentando entrar numa calça 38 do que tentando arrumar suas vidas. O pior é que nunca as vejo mais belas, somente mais cadavéricas. Devemos poder ser belos e saudáveis e felizes com isso, não neuróticos em busca de um ideal inalcançável. Tentar atingir a perfeição física sem a mental é o mesmo que colher a flor sem perfume ou o fruto sem sabor. Somos imperfeitos, é parte de nosso charme, é o que faz com que sejamos indivíduos. Malditas cirurgias plásticas e seus batalhões de barbies.

Adoro aqueles desenhos japoneses de heróis, vampiros e afins. Os tais Manga. Tenho o canal Animax e quando tudo parece muito chato na TV me mudo para lá me divertindo com a sexualidade exagerada, as roupas futuristas, os olhos grandes e a mitologia toda. Para mim os cabelos são um show à parte, nem tanto os das meninas, mas sim dos garotos. São tão estruturados e maravilhosamente absurdos. Completamente absurdos.
Entro no metrô e me sento com meu livro já aberto. Levanto os olhos automaticamente na próxima parada para scanear a multidão que entra e o vejo. Oriental, extremamente bonito, alto, olhos amendoados vindos de alguma mistura de sangue. E os cabelos... Ahhhh, os cabelos. Talvez tenha levado dias até atingir a perfeição. Mechas de negro lustroso quase azuladas em pé em todas direções, mas harmoniosamente. Lindo! Fiquei esperando que tirasse uma espada de sua mochila ou que falasse um daqueles diálogos que mal entendo. Fiquei fascinada. Não pude tirar os olhos dele. Daqueles cabelos. Ele se foi uma estação antes da minha e só então eu percebi que sorria. Meu primeiro Manga em carne e osso!

Sinopses sempre me ajudaram a escolher filmes. Me davam o tom, o tema e a quantidade de sangue que eu veria (nunca neguei ser sanguinária). Hoje em dia não sei quem as escreve, mas imagino que beba muito e fume um baseado atrás do outro. As sinopses se tornaram uma breve declaração de intenção. O filme deveria ser assim, pela mente dopada do sinopcista (inventei a palavra agora?), e até admiro o dopado filho da puta que me engana, pois sua visão é sempre melhor do que o filme, mas se eu colocar a mão em algum deles com certeza o encherei de porrada.

Um comentário:

Taumaturgo disse...

as palavras que tu enchesss algumas folhas em branco, sáo suculenteas, delineadas e explosivas, lembra-me de Hemingway.
Esperemo infinitamente poder ler estes teus contos.

Abraços, Saude e Paz!!!!