9 de mar de 2008

Dating Game

Duvido que exista um homem que não saiba todas as regras. Duvido que eles não saibam todos os truques. Podem se deixar levar, mas já não viram esse ato mais vezes do que o necessário? Já não assistiram a 200 filmes onde todas regras e truques são explicados exaustivamente?
Em minha adolescência eu tinha uma amiga que me contava a mesma historia a cada vez que arrumava um novo amor. Ela fazia todos os movimentos certos, seduzia, molhava os lábios, batia os cílios e acho que até enrubescia a seu bel prazer e quando era beijada sempre se mostrava surpresa e perguntava “Oh, porque fez isso?” Como se não fosse isso o que esperava. Eu nunca entendi essa necessidade de enfeitar tanto, mas parece que esse era seu truque, se funcionava eu não sei, mas posso dizer que os novos namorados dela sempre pareciam confusos.
Outra coisa que nunca entendi é a regra do sexo somente depois do terceiro encontro. Não estão todos os envolvidos cientes disso? Sendo assim faz alguma diferença quando você satisfará o desejo do rapaz? Homens não te convidam para sair pela primeira vez porque você os diverte ou pela sua capacidade cerebral ou porque torcem pelo mesmo time. Homens te convidam para sair porque querem transar e se você tiver sorte ele, ao fim da noite, da primeira, terceira ou décima, ele vai querer mais do que isso e muitas e muitas vezes.
Não se pode culpar nossos queridos espécimes masculinos, afinal se as saias estão cada dias mais curtas, as calças cada vez mais baixas e os decotes cada vez mais reveladores é exatamente para exalta-los sexualmente. Eles sabem. Vocês sabem. Todos sabem. Portanto para que tantas regras e truques?
Ouço no ônibus e metrô, todos os dias, ambos os lados da mesma historia. Infelizmente ninguém confessa sua completa ignorância sobre o que estão procurando ou, aqueles que conseguiram encontrar, onde foi que acertaram. Talvez se fossemos mais honestos com nós mesmos não seriam necessárias tantas regras e muito menos tantos truques, porque às vezes o que precisamos mesmo é somente um corpo que desejamos, uma mão ansiosa correndo pela nossa pele e uma boca ardente que nos leve à loucura.
O processo que nos leva da paixão para o esquecimento ou ao amor é o mesmo. Precisa-se arriscar, mas se estiver sempre jogando, atirando para todos os lados como um pistoleiro bêbado, nunca vai ver os sinais, porque eles estão ai para quem quiser ver. No primeiro encontro ou no quinto, com bater de cílios ou cantada explicita, se essa for a tampa da sua panela tudo ficará bem.

Um comentário:

Groo Veiga disse...

Exato. Aliás, convenções, etiquetas e regrinhas em demasia são um tanto "brochantes". Uma coisa é seduzir, cortejar, desejar...outra coisa é fazer-se de durão ou durona, complicar, criar jogos intricados e o pior de tudo: inventar situações só para 'testar o outro' ( ou a outra).

Aí é que acaba com qualquer possibilidade da tampa servir na panela!