1 de abr de 2008

Livros. Cães. Flores. Frutos.


Livros. Cães. Flores. Frutos.
Essa é minha lista de coisas belas e inofensivas. Quem me conhece deve estar se perguntando “onde está o chocolate?” bem, teve que ficar fora da lista já que não é assim tão inofensivo para minhas curvas.
Livros alem de serem inofensivos, a não ser pelo rombo que fazem em meu cartão de credito, ainda são uma fonte conhecimento, mesmo que inútil. Muitas vezes são o escape para o tumulto diário e sempre são os primeiros na lista dos presentes preferidos. Aquele vale presente da Livraria Cultura que seus amigos recebem com um sorriso morno e um agradecimento mecânico serão sempre motivo de YUPIIIIs de minha parte. Podem se perguntar onde está a beleza em meros livros, mas para mim cada um deles descansando em minhas estantes é como uma pintura e me enchem de prazer somente por saber que existem e são meus.
Cães fazem por mim o que nenhum ser humano consegue fazer, me dão a certeza de ser querida por nenhum motivo. Cães são animais cheios de compaixão, amor, honestidade e fidelidade, qualidades em extinção nos seres humanos. Minha paixão por estas criaturas não é nova, mas somente aumenta com a convivência. A beleza inegável do mais sujo vira-latas é a prova de que mesmo no fundo do poço um cão mostra no exterior toda sua beleza interna. Está nos olhos brilhantes e pidões, no abanar do rabo mesmo quando recebe somente indiferença. Eu os amo e eles tornam minha vida plena, sou melhor como ser humano com meus companheiros peludos, sou mais completa.
Flores em vasos, flores em campos, flores em lapelas, flores presas ao cabelo, flores em pétalas pelo chão e pela cama, flores. Flores são uma explosão de sensações. Um buquê nos enche os olhos, nos maravilha o olfato e, passado os primeiros momentos de prazer, nos confortam. Ter um simples arranjo em sua casa ou escritório parece mudar a rotina, a torna menos pesada e o simples ato de regar uma planta uma vez por semana parece fazer com que se senti em comunhão com um mundo bem maior e mais perfeito do que o que está acostumado. Talvez as flores não precisem da água que lhes damos, talvez sejamos nós que precisemos nos sentir parte da beleza com que enchem o mundo.
Frutos são flores rechonchudas e comestíveis. Gosto de ver aquelas frutas estranhas de lugares distantes. Sempre compro uma que seja para experimentar, é como dizer que senti o gosto de um país exótico. Frutos são fonte de alimento, servem perfeitamente como complemente sexual (sabe, como morangos. Não pensem besteiras.), ajudam a matar aquele vazio do meio do dia e enfeitam sua geladeira. Frutos em arvores são como milagres que inflam até ficarem maduros para nosso prazer. Um belo pomar é tão prazeroso quanto um belo jardim.
Livros, cães, flores e frutos são como um mantra para me lembrar que o mundo ainda merece que eu caminhe sobre ele.

Nenhum comentário: