17 de jul de 2011

Inspiration


O que peço é somente um pouco de inspiração. Não que ela tenha sumido exatamente, é mais como se estivesse cansada de minha indecisão e quando a chamo ela parece me olhar com aquele olhar cínico tão parecido como o meu dizendo “agora você me quer?” e vira as costas indo para o lugar onde as inspirações vivem (fucking far away). Tenho vontade de gritar com ela e talvez até implorar pelo seu perdão, explicar que a vida ficou complicada e que não me distanciei por vontade própria, mas apenas para por a vida nos trilhos. Eu queria dizer, mas sei que ela me conhece tão bem que somente me olharia com sabedoria, me daria aquele tsk tsk irritante de quem sabe que você está mentindo e iria embora do mesmo jeito.
Qualquer sentimento não atendido morre e inspiração para mim sempre foi um sentimento, pelo menos desde que passei a viver em comunhão com ele. Mas como muitos sentimentos às vezes é preciso somente um pequeno esforço, aquela mão estendida que diz tudo, do perdoa ao eu te amo, para que raízes comecem novamente a se criar na terra que ficou seca.
Então eu estendo a mão e espero, sabendo que cada passo que dou é um a mais em uma estrada sem fim, mas tão, tão amada. Nada justifica meu medo de continuar, o medo de falhar, afinal a vida é feita de fracassos, a cada um deles aprendemos melhor onde ficar o nosso pé e olhar antes de fincá-lo para nos certificar que não é em um monte de estrume.
Então começo novamente e peço a teimosa da inspiração que venha, tenho algo para ela, está bem aqui, escondido em minha manga.

Nenhum comentário: