22 de ago de 2010

Talk


Eu gosto de conversas que voam. Você nem sabe como chegou a um assunto e já descobriu outro para partilhar. Historias se cruzam como espadas, piadas pipocam no meio de dramas compartilhados, verdades são ditas com sorrisos satisfeitos e pequenas mentiras vêm acompanhadas de olhares divertidos. É muito difícil achar parceiro para esses embates, quase impossível. Parece que cada vez mais as pessoas desaprendem a arte de simplesmente conversar. Me pego muitas vezes tentando essa troca de idéias e cada vez mais vejo que somente eu falo e que me encaram com olhos vagos, bocas sem respostas, cérebros emperrados por falta de uso. O engraçado é que estas mesmas pessoas com quem consigo dividir palavras sem fim são as mesmas que me deixam mais confortável se escolho o silencio. Os estúpidos também não entendem o silencio, parece reverberar pela câmera vazia de seus crânios os incomodando imensamente. E há tanto o que se dividir... Livros que leu, experiências, constrangimentos, historias de família, lugares visitados, pessoas interessantes, filmes, idéias, conceitos, sonhos. Há muito o que se dizer, muito sobre o que conversar, infelizmente as pessoas parecem ter perdidos as palavras, esquecidos de como transformar suas idéias em algo inteligível e interessante. O mundo está emburrecendo de maneira assustadora e parece que ninguém se importa. Pelo menos tenho meu “conversador” sempre à mão e depois de 5 dias entre acéfalos sou brindada com um fim de semana onde mesmo o silencio é prazeroso. Thank you, brother Bear.
.

2 comentários:

Ricardo Mann disse...

Sinto essa mesma falta de som e silêncio num bom papo ao vivo. Estamos nos perdendo no mundo digital. O silêncio no MSN, por exemplo, é irritante.

CLICK disse...

Estou me abastecendo de idéias, palavras, argumentos, teses de vanguarda, pluralismos, eufenismos....Estou assistindo os horarios políticos eleitorais!!! Não perco um!!!Me aguarde Dekinha !