21 de jan de 2008

Goodbye Lucky


Ele se foi como veio, envolto em magia.
Ele era minha luz, meu amuleto da sorte, o sorriso no dia triste, meu raio de sol em meio à tempestade. Ele era meu companheiro especial. Ele era o cão mais amado do mundo.
Nunca pensei que meu próximo post seria para dizer adeus a outro de meus companheiros, muito menos ao meu mais amado. Queria dizer mil palavras, mas elas me fogem. Somente penso em sua docilidade e seu amor incondicional que me levaram para frente durante os anos difíceis. Não sei se paguei todo o bem que me fez, nem mesmo sei se retribui todo carinho que me dedicou. Espero que sim. Rezo que sim.
Meu coração está em mil pedaços. Não sei como catar os caquinhos espalhados entre minhas lagrimas. Não consigo deixar de sentir que ele deveria ainda estar comigo. Não consigo deixar de chorar.
Lucky... Sortudo ele foi mesmo, pois o busquei em um lar sem amor e o enchi de mimos merecidos. Mas a verdadeira sortuda fui eu. Lucky me deu 9 anos felizes e eu lhe dei meu coração. Não sei como continuar sem sua presença, mas já perdi tanto na vida que devo achar um meio.
Ele era o cão mais sensível do mundo, o mais amável, delicado e paciente. Ele era mágico. Um anjo peludo e fofo que gostava de me acordar com o focinho em meu ombro e os olhos brilhantes nos meus sonolentos. Lucky adorava batatas e banana e comia uvas como se elas estivessem à beira da extinção. Adorava os outros cães e nunca se intimidou com seus rosnados, os beijava com carinho todos os dias e eles fingiam que não gostavam, mas eu sei bem que agora sentem falta de seu jeitinho moleque. Amava carinhos e rolava de barriga para cima puxando minha mão como se dissesse “ coça mamãe!”. Ele também adorava falar, era só provoca-lo um pouco e lá ia ele em sua cantoria que quase parecia humana. Nunca chorou neste mês difícil que passou até ir para o céu, onde batatas e bananas e uvas serão sempre infinitas, aceitou tudo com a calma de sempre, sem dor, sem mostrar nada mais do que amor em seus olhos de chocolate.
Lucky... Eu fui a sortuda, meu filho querido, eu fui a premiada com a sua presença em minha vida, eu ganhei o premio inesperado de poder andar ao seu lado.
Fica com Deus e me espere com a calma de sempre. Meu amor não morre com você, ele se expande para o universo do qual agora você faz parte.
Te amo, filho.

Um comentário:

Godoya disse...

NOssa, lindo, lindo e lindo! Milhões de vezes lindo! Nossos amigos são maravilhosos, infinitamente perfeitos, amigos, carinhosos. ELE estava inspirado quando criou o cãozinho, ou estava descontente com a raça humana e fez um serzinho perfeito.
Beijo na testa minha amiga Déia