8 de mar de 2007

Dias Dourados

Sinto falta de dias dourados. Os de hoje em dia parecem sempre cobertos por fuligem e fatiga. Falta verdade e esperança nas manhãs e romance e sonhos nos entardeceres. O sol se ergue violento e se põem como uma fornalha tirando qualquer tentação de se admirar sua trajetória. As estações se confundem estragando outonos e primaveras, tornando confusos verões e invernos. O sol se ergue sem magia nessa metrópole de futuro incerto, simplesmente nasce sem enfeitar seus raios de rosa e morre sem dourar o horizonte. Talvez ele tenha se cansado de nossos olhares de relance para sua majestade, talvez não consigamos mais ver a beleza que parece morna e apagada por trás da poluição ardente. Não sei... Mas sinto falta dos dias dourados, quando esquecia do sono para ver os dedos delicados do astro rei se estendendo em minha direção, acariciando meu rosto , nascendo o dia que parecia sempre uma promessa de perfeição. Sinto falta do horizonte em fogo dos finais de tarde, da brisa que parecia trazer o chiar do sol se apagando no oceano distante. Sinto falta de quando os dias possuíam nuances e as noites cheiravam a ar fresco. O verão cada vez mais longo me faz viajar cada vez mais ao passado, onde a vida era mais simples, mais honesta, menos perigosa e repleta de dias dourados.

Um comentário:

Estrela Negra disse...

Hum... Isso me faz lembrar de quando era criança e tinha um balanço na varanda daqui de casa e no entardecer eu costumava tentar "voar" para ter a sensação de que eu estava mais perto do céu... Eu também costumava acordar mais cedo para ver o sol nascer lá de trás do monte, e nem me incomodava com as horas de sono perdidas... Hum... E ver a lua e as estrelas era sempre mágico... Eu acreditava piamente em ET's naquela época... rsrsrsrs