28 de abr de 2010

Intimidade


Sempre me incomodou essa noção de que intimidade é sinônimo de falta de privacidade, talvez venha daí minha aversão ao casamento. Lembro de alguém me contando como estava completa agora que se sentia a vontade de usar a privada na presença do namorado. Lembro também como fiquei estarrecida e amedrontada pensando que euzinha nunca teria a tão sonhada intimidade já que meus momentos no banheiro são extremamente privados. Como pode se chamar intimidade algo que me provoca extremo desconforto? Para mim intimidade é algo mais pacifico e menos fisiológico. Para mim intimidade é não precisar falar quando não tenho vontade, poder dividir o silencio com a alma que me acompanha sem precisar me justificar. Intimidade é sentir o prazer do outro como meu, duplicando as sensações. Intimidade é ver alem do obvio e se eximir de comentar o que fere e magoa. Intimidade é sentar ao lado de quem amo e ver um jogo de futebol, rindo de seu nervoso, atentando para suas necessidades mais básicas (cerveja e pipoca) mesmo que este possa não ser o meu passatempo preferido. Intimidade para mim é mais de dentro para fora do que de fora para dentro. As pessoas demonstram demais nos dias de hoje, mas dificilmente sentem o tanto que demonstram. Escrevendo agora lembro de outro caso da dita intimidade que fazia com que uma conhecida sempre descansasse uma mão no pênis de seu namorado mesmo que num bar à céu aberto. Ela dizia que a intimidade deles assim permitia, mas para mim sempre pareceu uma cena ostensiva que ela pensava ser sensual, mas para mim era somente ridícula e constrangedora. Quem é que fica de mão dada com o pênis do namorado numa festa? Intimidade para mim vai muito alem de tocar para conectar, está mais para estar tão conectado que sei quando meu parceiro deseja ser tocado. O que posso desejar é que o destino me escolha o próximo parceiro com cuidado, que seja tão neurótico e avesso a esta nova intimidade como eu.
.

3 comentários:

Celso Ramos disse...

É Andrea!!

Você passa longe da superficialidade dos relacionamentos "mudernos"..como esse que você relatou aí em que sua colega expunha a intimidade de um carinho genital!!! Um olhar as vezez é mais sensual e intimo, aquela sensação de pensar a mesma coisa juntos também é muito bom!!!! Além do mais< Andrea, a genitália um dia acaba...e aí?
Abraços!!!

CLICK disse...

OI MINHA QUERIDA ANDREA
Fiquei na duvida se vc é minha amiga Intima ou Privada, sim, porque nunca eu fiz minhas necessidades fisiológicas na sua presença, nem vc segurou nada em nenhuma festa. (???) e agora...
Está na hora de reavaliarmos essa amizade e recuperar o tempo perdido.Pra quando marcamos ????
Beijos !

Mari Migliacci disse...

é dé...já dizia o outro que o conforto do silêncio é sinal de intimidado. eu acho que as pessoas confundem um pouco, mesmo pq o que sempre escutamos é que quando amamos nos tornamos um. mentira. quando amamos mesmo, e a nós mesmos também, nós somos confortáveis para sermos o que somos. um casal é feito de dois inteiros e não de duas metades. e é isso aí!