24 de ago de 2008

Máscaras


Para mim é difícil não observar as pessoas. É como se eu precisasse estudá-las constantemente para entender para onde o mundo está indo. E ele está indo para o buraco. Não é só no rosto que podemos ler quem realmente são aqueles à nossa frente, mas também na postura de seus corpos. Infelizmente, cada vez mais, cada expressão e gesto é estudado. Estudado demais para meu conforto. Não é somente naqueles primeiros momentos, onde todos usamos nossas melhores máscaras para passar uma boa impressão, que vejo dissimulação, é como se todos de repente quisessem ser atores num mesmo cenário. Gestos naturais são cada vez raros e relacionamentos completamente honestos ainda mais. Quando olho à minha volto vejo máscaras e as imagino ressecadas e quebradiças ao sol mostrando a verdade que ninguém quer revelar. O que tanto escondem? Porque poses e bocas e gestos estudados? Será que já não temos face para mostrar? Porque ser político é mais importante que se ser honesto? Onde está a verdade em esconder nossa aversão ou amor? Acho que não nasci para um mundo onde se é preciso ensaiar cada frase dita. Não sou cautelosa o suficiente para pesar minhas palavras a todo o momento, minha sinceridade brusca está desatualizada, meu humor acido está condenado. Mudar? Nem pensar. Em duas semanas chego aos 45 e se a idade te dá algo é a rara oportunidade de se aceitar mesmo que o modelo esteja gasto. Alguém disse que nunca mudamos, somente nos tornamos cada vez mais o que somos. Essa sou eu e deixo as máscaras para os que têm o que esconder. Prefiro meu rosto ao vento, meu humor negro e meus sentimentos claros. Que seja. Desatualizada ou não aqui estou. Sem máscaras.

2 comentários:

Edimar Suely disse...

Olá,

Passando para convidar para a esta de 3 anos do meu blog. Participe. Você faz parte desta história.

Smack!

Edimar Suely
jesusmiharocha.blig.ig.com.br

Luis Fernando disse...

Querida Déia,
Divido com você a visão deste mundo, e realmente o vejo acontecendo. Pessoas se encondem atrás de suas máscaras, não apenas uma; são duas, três ...
Estou lendo muito, tem sido muito bom para mim, e tenho buscando respostas para as questões existencias, tentar responder-me o que leva as pessoas se esconderem, ignorar o amor, a fonte que gera, renova e salva.
Não posso deixar de dizer, que também fui portador de máscaras e que um dia eu me enganei, em pernonagens me escondi. Tem até uma letra de música católica do Pe. Fabio de Melo que diz disso e eu tomo a liberdade de registrá-la aqui....

....Por quanto tempo me enganei
em personagens me escondi
montei senarios fui ator
fui me tornando um perdedor
dentro de mim eu me perdi....

Espero me livar destas máscaras, tornando-me forte, para enfrentar o mundo e as pessoas que têm medo de viver.

"a boca fala daquilo que o coração esta cheio"

Abraços, felicidades e saude.