9 de nov de 2009

Enfim!


Eu podia me perder nesse silencio. Um carro ou outro passa na estrada logo abaixo, mas em intervalos longos e repousantes. Fico esperando pelas businas, pela ansiedade diária, mas essas se perderam na estrada. Pássaros aos montes cantam em cada arvore e penso em minha mãe e como ficaria feliz de alimentar a todos. Um caminho de pedras leva à piscina e me sinto tentada, mas nem tanto, a mergulhar nas águas azuis mesmo com o vento fresco soprando. Quero gritar bem alto de alivio por finalmente ter chegado à esse momento. É tudo que precisava, tudo que sonhei em longos anos perdida na metrópole. A montanha verde à minha frente sopra seu hálito em meu rosto e penso que estou finalmente encontrando algo que perdi no passado.. É doce a sensação da solidão sabendo que aqueles que amo me esperam e entendem. Não demoro.
.

Nenhum comentário: